Mais Vulva, Menos Vagina

Tempo de leitura: 1 minuto

A minoria das mulheres sabe que a parte externa do nosso genital se chama vulva e não vagina. Vulva é tudo que aparece: lábios externos, lábios internos, glande clitoriana, monte púbico, pêlos pubianos. Todo o nosso relevo, nossas reentrâncias, rincões e vulcões fazem parte dessa maravilhosidade chamada vulva. Vagina é apenas o canal de acesso ao colo do útero.

A construção social e linguística do nosso genital como sinônimo de vagina tem interesses de manter a mulher submissa e sob controle (como sempre!) Quando a gente acha que o nosso genital é apenas um buraco ou uma passagem, fica muito mais fácil de associar sexo à penetração e desconsiderar que o nosso parque sensorial está na vulva.

Hoje vemos uma epidemia de cirurgias plásticas para redução dos relevos da vulva. Enquanto as mulheres buscam cada vez mais reduzir suas partes íntimas, a busca dos homens é oposta: quanto mais pênis melhor. Essa é a dinâmica falocêntrica, a concepção completamente equivocada de que sexo é chave na fechadura. Na real, sexo para nós mulheres, deveria ser muito mais vulva e bem menos vagina.

Musa, olhe para a sua vulva, sinta a sua vulva, admire sua vulva, acaricie sua vulva. Integre a experiência genital nos cuidados com seu corpo! O prazer é garantido.

Texto maravilhoso do Instagram @prazerela

Quer receber conteúdos e reflexões sobre Tantra, Autoconhecimento, Sexualidade Sagrada, Alquimia Sexual Taoista e Magia Sexual gratuitamente no seu WhatsApp? Basta adicionar o número 11960280002 e enviar o nome com a palavra Tantra.