O Poder da Gentileza Segundo uma Lenda Xamânica

Tempo de leitura: 3 minutos

Compartilho aqui com vocês uma das cartas dos Animais de Poder de Jamie Sams. As Cartas Xamânicas trazem ensinamentos dos animais para a nossa vida. Hoje trago a Carta da Corça, que fala sobre o poder da gentileza e do amor.

Um dia a Corça ouviu o Grande Espírito chamando por ela do topo da Montanha Sagrada. A Corça iniciou imediatamente sua jornada, sem imaginar que um terrível demônio tomava conta do caminho que levava à morada do Grande Espírito. O demônio estava tentando impedir que todos os Seres da Criação se aproximassem do Grande Espírito. Este demônio queria que todos os seres vivos pensassem que o Grande Espírito não desejava ser perturbado. Isto deixava o demônio satisfeito, pois ele se sentia poderoso e assustador.

A pequena Corça não sentiu o menor medo, e nem se assustou quando se deparou com o demônio, arquétipo do mais horrível dos demônios que já haviam existido. O demônio cuspiu fogo e fumaça sobre a Corça e tentou atemorizá-la com gritos terríveis.

Qualquer outra criatura teria morrido de medo ou tentado escapar o mais rápido possível, mas a Corça não fez nada disso. Ela se limitou a pedir gentilmente ao demônio:

– Deixe-me passar, por favor. Eu estou indo ver o Grande Espírito.

Os olhos da Corça estavam repletos de amor e compaixão por este demônio tão grande e feio… O demônio ficou totalmente desconcertado com a atitude da Corça e com sua própria incapacidade de assustá-la. Nada que ele pudesse tentar poderia amedrontá-la, pois o amor da Corça havia penetrado seu coração triste, feio e empedernido.

Para a própria consternação do demônio, seu coração de pedra começou a amolecer com o amor e a gentileza persistentes da Corça, de modo que o corpo antes gigantesco do demônio encolheu ao ponto de ficar do tamanho de uma casca de noz. O amor, a compaixão e o carinho personificados pela Corça abriram o caminho parra que todos os filhos do Grande Espírito pudessem, daí em diante, alcançar o topo da Montanha Sagrada sem que os demônios do medo conseguissem impedir a sua passagem.

A Corça nos ensina a usar o poder da gentileza para todas os corações e as mentes de todos os seres machucados pela existência, e que estão sempre tentando nos manter longe da Montanha Sagrada. Assim como existem pequenas manchas brancas e negras na pelugem da Corça, devemos aceitar e amar tanto a luz quanto a escuridão para sermos capazes de criar um mundo de amor e segurança para todos aqueles que buscam a paz.

Esta fábula mostra que mesmo diante das maiores adversidades, o amor e a gentileza persistentes são as chaves para abrir o caminho. A Corça é a fêmea do Veado, simbolizando também a energia feminina, doce, que vence o demônio não através da força bruta, mas sim do verdadeiro poder, o amor.

Simbolicamente este “demônio” é todo comportamento de raiva, ódio, briga, intolerância e etc, que nos impede de ver a verdadeira Lua por detrás dos véus. O nosso mundo infelizmente está infestado destes “demônios”, e cada vez mais temos que nos valer da Medicina da Corça para derretermos os corações de pedra que encontramos no caminho.

Busque manter a calma, o autocontrole e a gentileza e você verá que os piores “demônios” abrirão o seu caminho, e assim como na fábula, ao fazer isso, você “libera” o caminho de uma série de outras pessoas.

Ahow!