Os Planetas como Estados de Consciência

Tempo de leitura: 6 minutos

É verdade, certo e muito verdadeiro:
O que está em baixo é como o que está em cima e o que está em cima é como o que está em baixo, para realizar os milagres de uma única coisa.
E assim como todas as coisas vieram do Um, assim todas as coisas são únicas, por adaptação.
O Sol é o pai, a Lua é a mãe, o vento o embalou em seu ventre, a Terra é sua alma;
O Pai de toda Telesma do mundo está nisto.
Seu poder é pleno, se é convertido em Terra.
Separarás a Terra do Fogo, o subtil do denso, suavemente e com grande perícia.
Sobe da terra para o Céu e desce novamente à Terra e recolhe a força das coisas Superiores e inferiores.
Desse modo obterás a glória do mundo.
E se afastarão de ti todas as trevas.
Nisso consiste o poder poderoso de todo poder:
Vencerás todas as coisas sutís e penetrarás em tudo o que é sólido.
Assim o mundo foi criado.
Esta é a fonte das admiráveis adaptações aqui indicadas.
Por esta razão fui chamado de Hermes Trismegisto, pois possuo as três partes da filosofia universal.
O que eu disse da Obra Solar é completo.

As palavras que abrem este artigo são da Tábua de Esmeralda, texto da época do Antigo Egito atribuído à Hermes Trismegisto, que é um dos principais fundamentos da Astrologia, pois nos ensina que “O que está acima é como o que está abaixo.”

Neste caso, o que está “acima” de nós? São os planetas e constelações! Está também no Gênesis da Bíblia:

E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.
E sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi.
E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.
E Deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra,
E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom.
Gênesis 1:14-18

Temos então em um sentido oculto, os astros como grandes “governantes” e como “sinais”. Existe uma discussão na Astrologia onde alguns pregam que os planetas exercem sim influências sobre nós (assim como a Lua influencia as marés) e outros pregam que os planetas são somente indicadores, como se fosse ponteiros de uma relógio, que marcam o tempo, mas não o influenciam.

Na minha opinião, independente de qual das duas abordagens seguirmos, acabaremos chegando no mesmo lugar. Talvez eu fique no caminho do meio, onde podemos sim ter influências planetárias, mas ao mesmo tempo temos a ação do nosso livre arbítrio, tirando o efeito totalmente fatalista que alguns podem ter da Astrologia. Sempre digo que os astros inclinam, eles trazem um potencial, mas você tem a sua parte na equação.

Dizem que Carl Jung, um grande conhecedor da mente humana, era um entusiasta da Astrologia, e inclusive fazia mapas astrais dos seus pacientes. Jung deixou uma contribuição valiosíssima para a humanidade, trazendo à tona temos como Sincronicidade, Inconsciente Coletivo e Arquétipos.

Jung deixou algumas frases interessantes sobre a Astrologia para que possamos meditar:

Nascemos num dado momento, num dado lugar e temos, como os vinhos célebres, as qualidades do ano e da estação que nos viram nascer. A Astrologia não pretende ir mais longe.

A Astrologia merece o reconhecimento da Psicologia, sem restrições, porque a Astrologia representa a soma de todo o conhecimento psicológico da Antiguidade.

Vamos ver então o que representa cada planeta como estado de consciência?

  • Sol – É o Ser, a Essência. Representa o Espírito da pessoa. Nosso lado mais consciente. A nossa individualidade. O Sol é o símbolo do grande doador da vida, só temos vida aqui na Terra por conta da luz solar que chega ao nosso planeta. Se você gosta de Mitologia Grega, pode relacionar o Sol com o deus Hélio ou Apólo. No Antigo Egito, é o deus Rá.
  • Lua – É o Perceber. Os instintos. As emoções. Nosso lado mais inconsciente. A Lua no mapa representa a nossa necessidade de segurança, além de ser o planeta mais cármico do mapa, pois representa o passado e dela derivam Lilith e a Cabeça e Cauda do Dragão. Se você gosta de Mitologia Grega, pode relacionar a Lua com Ártemis ou Selene. No antigo Egito, é a deusa Ísis.
  • Mercúrio – É o Pensar. O Raciocínio Lógico. A Comunicação. Mercúrio está sempre próximo do Sol, o que significa que ele nunca vai estar em um signo muito distante do seu signo solar. Ele acaba dando uma nunce ao signo do Sol, ou exaltando as suas características. Eu por exemplo tenho Sol e Mercúrio em Aquário, o que intensifica a energia aquariana em mim. Eu poderia ter um Mercúrio em Capricórnio ou Peixes, que daria um tom diferente ao meu Sol. Na Mitologia Grega é o deus Hermes, e no antigo Egito era o deus Toth.
  • Vênus – É o Sentir. Os relacionamentos. Aquilo que gostamos. Vênus representa no nosso mapa a nossa necessidade de nos ligarmos aos outros, nossa necessidade do belo, e por isso acaba sendo ligado ao dinheiro também. Na Mitologia Grega é a deusa Afrodite, no antigo Egito, era Hathor.
  • Marte – É o Agir. A Vontade. A Libido. Nosso Guerreiro Interior. Marte é o princípio ativo no nosso mapa astral, traz energia para buscarmos aquilo que queremos, e por isso é conhecido como o “braço direito do Sol”. Na Mitologia é Ares, o deus da guerra, e no antigo Egito é a deusa Sekhmet.
  • Júpiter – É o Acreditar. A Fé. A Expansão. Júpiter e Zeus, aquele que destronou seu pai, Cronus. Era conhecido antigamente como “o grande benéfico”, pois é um planeta que traz facilidades e crescimento.
  • Saturno – É o Aprender. A Disciplina. O Esforço. Os Limites. Saturno é Cronus, que foi destronado por Zeus. Ele era conhecido como “o grande maléfico”, e até hoje alguns astrólogos possuem uma visão negativa sobre ele. Saturno é o planeta que traz forma, e por isso mesmo ele exige aprendizado e disciplina. Eu o chamo de “o grande professor” do zodíaco. O que acontece é que ele é  um professor severo, então quando não aprendemos a lição podemos sofrer um pouco em sua mão. (Assim são os grandes mestres, veja no vídeo deste post)
  • Urano – Oitava Superior de Mercúrio. Representa o pensar coletivo. A Mente Abstrata.
  • Netuno – Oitava Superior de Vênus. Representa o sentir coletivo. O Amor Universal.
  • Plutão – Oitava Superior de Marte. Representa a Força Coletiva. O Despertar.

Você gosta deste tema? Então cadastre seu e-mail abaixo para receber as atualizações do site.

Veja também esta Live onde eu converso sobre Astrologia e Autoconhecimento.

 

Quer saber mais como a Astrologia poderia ajudar na sua vida, saiba mais aqui e entre em contato!