Qual é o seu Karma?

Tempo de leitura: 5 minutos

Muitas vezes as pessoas atribuem o sofrimento pelo qual estão passando ao “Karma”, mas afinal, o que é este tal de Karma? Quero trazer aqui algumas informações, e principalmente, mostrar que ele não precisa ser sinônimo de sofrimento eterno.

A palavra Karma vem do Sânscrito, língua sagrada da Índia, e significa Ação. Em algumas sociedades iniciáticas, Karma significa Lei. O Karma então é uma Lei do Universo, mais especificamente a Lei de Causa e Efeito (Leia mais aqui).

No Universo tudo tem que caminhar em equilíbrio, mas o homem, usando de seu livre arbítrio, faz o que quer, e fazendo o que quer, acaba afetando este equilíbrio. Temos diversas leis no Universo, e quando não entendemos estas leis, corremos um sério risco de causarmos desequilíbrios. Assim como na nossa sociedade você não pode se safar de uma penalidade por dizer que não conhecia a lei, o Universo não se preocupa em saber se você conhece ou não a Lei, ele vai buscar colocar as coisas em equilíbrio. Embora o fato de não conhecermos as leis não nos livra da “multa”, quanto maior for o nível de consciência, maior a responsabilidade.

…Aquele servo que conhece a vontade de seu senhor e não prepara o que ele deseja, nem age para agradá-lo, será castigado com extrema severidade. Contudo, aquele que não conhece a vontade do seu senhor, mas praticou o que era sujeito a castigo, receberá poucos açoites. A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito mais ainda será requerido. – Lucas 12

Podemos dizer que a “vontade de seu senhor” são as Leis do Universo. O peso do Karma para aquele que conhece as Leis e ainda assim as infringe é maior do que para aquele que não conhece as Leis, embora o Universo sempre busque trazer de volta o equilíbrio.

Algo muito importante a entendermos com relação ao Karma, é que ele não funciona no estilo “olho por olho, dente por dente”. Para dar um exemplo, se damos 10 chicotadas em alguém, estamos causando uma dor X equivalente à estas 10 chicotadas. O nosso retorno não precisa vir necessariamente em chicotadas, pode vir de qualquer outra forma que cause uma dor equivalente à uma dor X. Por aí você já consegue imaginar que muitos dos sofrimentos pelos quais passamos se originaram em sofrimentos que nós mesmos causamos.

Visualize uma balança, como esta que está no início do post. Assim é o Universo, ele precisa manter o equilíbrio. Se não houvesse este sistema de reajustamento kármico a humanidade se destruiria por completo.

Um ponto a se considerar é que o Karma também não é instantâneo, segundo as tradições, podemos carregar karmas negativos ou positivos até de vidas passadas.

Opa, eu falei Karma Positivo??? Sim! Aqui no Ocidente o Karma acabou ficando com uma fama de algo muito negativo, de sofrimento, porém lembre-se, o Karma é Lei, Lei de Ação e Reação, Lei do Equilíbrio. Se temos boas ações, acumulamos um bom Karma. Como diz Sri Baghavan, o Avatara que nos trouxe a Deeksha:

Como em seu banco, você tem uma conta de karma bom e uma conta de karma ruim. Enquanto continuar a ajudar pessoas, a sua conta de karma bom cresce e cresce e cresce. A vantagem é que você pode converter o seu karma bom ou descontar seu karma bom para ajudar a si mesmo. Para um problema de saúde você pode descontar seu bom karma. Você tem um problema conjugal, você pode descontar seu bom karma. Se você tem um problema de relacionamento você pode descontar seu bom karma. Então, como você está ajudando você será capaz de ajudar a si mesmo.

À todo momento estamos criando Karma em nossa vida, seja ruim ou seja bom. O segredo é aumentarmos o nosso nível de consciência, para que possamos tomar novas decisões, e assim “limpar” o Karma ruim e criar um Karma bom para o futuro. Veja esta dica da Monja Coen:

Caso você esteja em uma época de sofrimento, saiba que existem seres chamados Assur Lípicas (Senhores do Karma), que são os reguladores kármicos para que possamos suportar o retorno ao equilíbrio, isto é, suportar o Karma negativo que provocamos. São eles que, através de sua sabedoria, fazem um escalonamento, de modo que a dor do retorno ao equilíbrio seja suportável e educativa. Como dizem por aí, Deus não envia um peso maior do que aquele que podemos suportar.

Para finalizar, deixo aqui um poema do Budismo que ajuda a limpar o Karma negativo, eu tomei conhecimento dele através da própria Monja Coen. Desde a época de Buda este poema é recitado 3 vezes a cada Lua Nova e Lua Cheia. É uma ferramenta de grande ajuda, já que muitos dos nossos Karmas negativos são criados de forma inconsciente.

Poema do Arrependimento

Todo carma prejudicial alguma vez cometido por mim, desde tempos imemoriáveis

Devido à minha ganância, raiva e ignorância sem limites

Nascido de meu corpo, boca e mente

Agora, de tudo, eu me arrependo.

Espero que este post possa te ajudar na sua jornada =)