Conheça um dos segredos da verdadeira felicidade (este vídeo vai te emocionar!)

Tempo de leitura: 5 minutos

Olá, Filho da Terra! Conheces o segredo da doação?

Quanto mais distribuíres, mais receberás, pois assim é a natureza.

Olá, Filho da Terra! Acreditas em colher o que semeaste?

Uma gota de sabedoria trará a verdade, e tu em verdade conhecerás.

“Esta é uma oração da Tradição Nativo Americana que fala sobre a Cerimônia da Doação. Este ritual consiste  em livrar-se de objetos úteis, que ainda são caros a seus donos, repartindo-os com outras pessoas. O ato de doação também simboliza que o doador está pronto a fazer um sacrifício e abrir mão de um objeto que lhe é caro, sem maiores apegos ou arrependimentos. Para os Nativos Americanos a ideia original de sacrifício englobava o conceito de “tornar sagrado”. Para tornar qualquer ato ou objeto sagrado, é necessário realizar a doação numa atitude de humildade e com o coração cheio de alegria. O ato de doar em si representa apenas uma etapa do processo;  o mais importante é que o doador olhe para dentro de si mesmo tentando avaliar o potencial de crescimento associado àquele ato de entrega.”

“O Povo Nativo acredita que quando alguém partilha tudo aquilo que possui para que o resto do Povo possa sobreviver, ele será cumulado com honrarias e prosperidade.”

Os trechos acima são do livro Cartas do Caminho Sagrado de Jamie Sams, e mostram como os povos nativos compreendem a importância do compartilhar. A medida de riqueza para eles é baseada na predisposição da pessoa de ajudar os outros. Quanto mais a pessoa ajuda, mais rica ela é para estes povos.

Este conceito de riqueza como capacidade de ajudar é comum à várias tradições. O Profeta Maomé já dizia:

A verdadeira riqueza de um homem é o bem que ele faz neste mundo à seus irmãos.

Segundo a Cabala, a doação (chamada de Tsedaká), é tão importante que é colocada como uma forma de “justiça”. Ao se ajudar o próximo, realiza-se o que no judaísmo se dá pela percepção do que é justo.

Rabi Iehuda dizia:

A pedra é dura, mas o ferro a corta; o ferro e rígido, mas o fogo o amolece; o fogo é poderoso, mas a água o extingue; a água é pesada, mas as nuvens a carregam; nuvens são fortes, mas os ventos as dispersam; o vento é forte, mas o corpo o resiste; o corpo é forte, mas o medo o arrebenta; o medo é forte, mas o vinho o espanta; o vinho é forte, mas o sono o conquista; a morte é mais poderosa que qualquer um destes, porém a tsedaká redime da morte.

É isso mesmo. Para os cabalistas, a tsedaká tem o poder de deter o anjo da morte. Nos cursos que fiz de Cabala, sempre são contadas histórias de pessoas que se livraram de doenças terminais através de uma tsedaká massiva, porém, o ideal é não precisar chegar neste ponto. Um comentário chassídico diz:

Quando a carga no lombo de um camelo começa a se desequilibrar e pender para um lado, é necessário apenas a ajuda de um homem para recolocá-la na posição correta. No entanto, se esta vier a tombar no chão, nem mesmo quatro ou cinco homens poderão levantá-la do solo e recolocá-la. Assim também é com a tsedaká: um pouco hoje pode realizar o que muito amanhã talvez não consiga.

E o que dizem os mestres da Índia com relação à doações? Vejamos um ensinamento de Sri Bhagavan, Avatar que nos trouxe a Deeksha:

Como em seu banco, você tem uma conta de karma bom e uma conta de karma ruim. Enquanto continuar a ajudar pessoas, a sua conta de karma bom cresce e cresce e cresce. A vantagem é que você pode converter o seu karma bom ou descontar seu karma bom para ajudar a si mesmo. Para um problema de saúde você pode descontar seu bom karma. Você tem um problema conjugal, você pode descontar seu bom karma. Se você tem um problema de relacionamento você pode descontar seu bom karma. Então, como você está ajudando você será capaz de ajudar a si mesmo.

Se você ainda quer mais, deixe-me citar a obra do Dr. Martin Seligman, Professor da Universidade da Pensilvânia, Psicólogo, Ex-Presidente da Associação Americana de Psicologia. Autor de contribuição significativa na área de Psicologia Positiva. Em seu livro Florescer: Uma Nova e Visionária Interpretação da Felicidade e do Bem Estar, ele conta que que os cientistas descobriram em suas pesquisas que praticar um ato de bondade produz um aumento momentâneo no bem-estar maior do que qualquer outro exercício que eles tenham testado. Ele inclusive relata um acontecimento pessoal e recomenda um exercício:

Eu estava irritado, ali parado em uma fila enorme e sinuosa por 45 minutos para comprar uma folha de cem selos de um centavo. A fila arrastava-se enquanto o mau humor crescia à minha volta. Finalmente, cheguei ao balcão e pedi dez folhas de cem. Todas de dez dólares.

– Quem precisa de selos de um centavo? – gritei. – São  de graça.

As pessoas explodiram em aplausos e se aglomeraram à minha volta enquanto eu distribuía esse tesouro. Em dois minutos, todos tinham ido embora, junto com a maioria dos meus selos. Foi um dos momentos mais agradáveis  da minha vida.

O exercício é o seguinte: encontre uma coisa totalmente inesperada para fazer amanhã e faça. Observe o que acontece com o seu humor.

É amigos, passamos por diversas tradições até chegarmos aqui no nosso dia a dia. Eu utilizo muito a Psicologia Positiva nos meus atendimentos, e sempre falo que não podemos ficar tristes ou depressivos ajudando os outros. Este é o melhor remédio para estes males sem dúvida. Vale lembrar que esta doação não precisa ser necessariamente em dinheiro, pois temos várias formas de ajudar, como você vai ver no vídeo abaixo.

PS: Você pode inclusive começar com o simples ato de compartilhar este post com os seus amigos, caso ache que poderá ajudá-los de alguma forma assim =)